Anuncie Aqui Topo 728x90

Polícia analisa imagens e ouve testemunhas para resolver homicídio no Centro

Apesar de crime ter características de execução, delegado evita falar sobre morte encomendada.

Por Redação em 31/01/2020 às 11:49:59

A Polícia Civil de Cabo Frio analisa imagens de câmeras de segurança e colhe depoimentos para tentar esclarecer o homicídio do empresário Clemir de Souza Brito, de 62 anos, morto com cinco tiros no começo da tarde de ontem na Avenida 13 de Novembro, no trecho entre as ruas Rui Barbosa e Jorge Lóssio, no centro de Cabo Frio. O crime aconteceu no horário do almoço, quando havia muito movimento na região.

Apesar das características de execução, o titular da 126ªDP (Cabo Frio) e delegado responsável pelo caso, Sérgio Caldas, ainda não é possível dizer que houve encomenda da morte da vítima. Sem dar maiores detalhes, ele disse que o inquérito para apurar a morte de Clemir já foi aberto.

– O Núcleo de Homicídios está fazendo o levantamento com testemunhas e câmeras. Tem dois elementos que foram vistos saindo do local. Tem carro suspeito também, mas a investigação está no início, está caminhando – comentou.

Segundo testemunhas ouvidas pela reportagem no local, pelo menos, o empresário havia acabado de estacionar o carro, um Honda CR-V branco, com placa de Cabo Frio. Relatos de pessoas que estavam próximas confirmam a informação de que o crime foi cometido por dois homens, que depois fugiram em uma moto. Outra versão aponta, considerada pela polícia, é que a fuga foi feita de carro.

No momento dos disparos, houve pânico e correria pela rua, mas depois que a polícia isolou a área, aglomerou-se uma grande quantidade de curiosos para acompanhar o trabalho inicial de apuração da polícia. A perícia esteve no local para recolher possíveis evidências para ajudar nas investigações. O Corpo de Bombeiros foi acionado e rapidamente socorreu o empresário, levando-o para o Hospital Central de Emergência (HCE), mas ele não resistiu aos ferimentos.

A morte do empresário, que administrava um estabelecimento nas imediações da Praça de São Cristóvão, causou consternação nas redes sociais e indignou os internautas, que pedem mais segurança na cidade.

No começo da noite de ontem, o 25º Batalhão da Polícia Militar emitiu uma nota para rebater críticas feitas nas redes sociais ao trabalho da corporação. O texto diz que o assassinato de Clemir "sugere uma execução, um fato isolado" e que a PM trabalha para identificar o veículo usado pelos criminosos e as identidades deles. Os policiais chegaram a fazer um cerco tático após o crime, mas não conseguiu pegar os assassinos.

"É lamentável observar algumas postagens depreciativas e sensacionalistas em redes sociais tentando descaracterizar e diminuir o trabalho incansável e focado das forças de segurança que atuam na região.

Tais postagens, tendenciosas, além de desrespeitar os profissionais da segurança e tentar denegrir a imagem das instituições que se dedicam à população, em nada contribuem para melhorar as condições de segurança da nossa região, muito pelo contrário, ajudam a difundir o medo", diz o comunicado.

Reportagem da Folha dos Lagos

Fonte: Rodrigo Branco / Folha dos Lagos

Comentários